LaBaq: “Foco meu futuro na evolução”

LaBaq e Bibiana Petek são dois dos bons nomes de uma cena musical autoral, vigorosa e conectada a contemporaneidade. Ambas vão se apresentar dia 14 de novembro no palco do Agulha, a mais nova boa-nova das casas de eventos de Porto Alegre, que rapidamente ocupou o seu espaço na lista dos lugares onde se pode ouvir bons sons e ver bom shows na capital gaúcha.  Cada uma na sua, mas bem semelhantes no amor pela música, Larissa e Bibiana responderam as mesmas perguntas pra o Antenna.


Quem é LaBaq?

Uma criatura do interior de São Paulo completamente entregue à música e usando-a como ferramenta pra fazer algum bem a quem chega perto e de peito aberto.

Como vc define sua música?

Tão difícil… Pra situar um pouco, dá pra dizer que é um pop meio alternativozinho, mas eu prefiro me apegar à ideia de que isso vai mudar a todo instante, gosto de absorver e reinventar tudo a toda hora.

Por quê as pessoas têm que ouvir música ao vivo?

Ah, público não tem que nada, rs. Mas se sentirem curiosidade, garanto um show dinâmico, canções sinceras e abraços. ❤

O q vc tá preparando para o show do Agulha?

Tenho circulado bastante com meu show solo, esse ano fiz três meses na Europa e chego em Porto Alegre de uma tour por Chile, Argentina e Uruguai, então dá pra dizer que tem algo de América Latina na bagagem, músicas novas e várias do meu primeiro disco, • v o a •, lançado ano passado.

O q vc “quer ser amanhã”?

Melhor que hoje, enquanto ser humano, enquanto musicista, compositora, produtora musical. Foco meu futuro na evolução, na entrega cada vez maior ao que me disponho a ser e fazer.